O “seguro” morreu de velho!